Rua do Xisto nº 150,
4475-509 Nogueira Maia

(351) 965 763 788
info@centroanastacia.com

| |
Escrito por Anastácia
Categoria:

Hawayo Takata

Hawayo Kawamuru, Takata mais tarde nasceu em 24 de dezembro de 1900, numa família de cortadores de abacaxi, na ilha de Kauai, Havai, em Hanamaulu. As técnicas e métodos de ensino sofreram alterações e vários ramos do Reiki evoluíram. O que é facto, é que todos os métodos funcionam e todos derivam dos ensinamentos de Hawayo Takata. Após a sua morte, está tinha preparado 22 mestres que levaram o Reiki aos Estados Unidos da América e daí até ao resto do mundo.   

Para muitos é considerada a filha do Reiki, e para outros a mãe adotiva do Reiki no Ocidente. A Sra. Takata desempenhou um papel vital na disseminação do Reiki no ocidente, tendo recebido o seu grau de mestre do Dr. Chujiro Hayashi. Desenvolveu o sistema de Reiki para o ocidente (Havaí, EUA), em 1938, com o início da segunda guerra mundial. Os seus ensinamentos em Reiki incluí histórias variadas sobre o fundador do sistema, Mikao Usui. Pesquisadores atuais relacionam as diferenças entre o Reiki ocidental e o Japonês, devido à omissão da terminologia japonesa que ela não usou, pois, era um período de guerra entre Japão e os EUA. Desde então, tem havido muitas adições de conteúdo num sistema muito simples. Relembramos que o sistema que ensinou a Sra. Takata concentrou-se no aspeto de cura do Reiki, em detrimento do desenvolvimento espiritual pessoal.

Biografia

A história de Hawayo Hiromi Takata começou no alvorecer do natal de 1900, quando nasceu em Hanamaulu na ilha de Kauai, no Havai. A sua mãe pediu então à parteira que se dê um banho a recém-nascida, e a envolvesse num lençol branco e voltasse o seu rosto para o sol que estava justamente a nascer por trás de uma montanha, enquanto batizava a criança com o nome de Hawayo em homenagem ao recém-formado território do Havai.

Ao falecido Sr. e Sra. Otogoro Kawamura, imigrantes do Japão, foi dito que teria uma vida longa e útil para Hawayo. A sua irmã mais velha, Kawayo desejava que a sua irmã mais nova seja digna do seu nome, pois, ela "representa" as ilhas havaianas. O seu pai trabalhava nos campos de cana-de-açúcar de onde tirava o sustento para a sua família. Hawayo ia à escola pública sempre com muita alegria e prazer para aprender. Quando completou os 12 anos juntou-se às outras crianças que trabalhavam na lavoura durante o verão. Trabalhava arduamente o que se tornava cada vez mais difícil, dada a sua saúde delicada. Foi quando diante das dificuldades apresentadas, foi convidada a ajudar nas salas de aula, o que lhe possibilitou ajudar a sua família.

Em 1914 foi-lhe oferecido um emprego numa loja de Lihue, aos sábados, e pouco tempo depois, uma cliente da loja, impressionada com a delicadeza e presteza de Hawayo Takata no seu trabalho, ofereceu-lhe um emprego melhor, com o dobro do salário. Foi o início de uma amizade que perdurou por mais de 24 anos. Com a sua experiência adquirida anteriormente viu-se a supervisionar 21 pessoas, numa das casas ricas da região. Casou-se com Saichi Takata, o contabilista da propriedade em que trabalhava, da qual foi um casamento feliz coroado com o nascimento das suas filhas.

Numa manhã de outubro de 1930, Saichi faleceu, repentinamente aos 34 anos de idade. A partir desta data, a vida de Hawayo ficou mais difícil. Ela trabalhou ainda mais para garantir o sustento da família, o que resultou num desgaste maior, além de outros problemas físicos, como fortes dores abdominais que exigiam uma cirurgia urgente, além de graves problemas respiratórios que impediam o uso de anestesia. Não tinha mais de 35 anos, mas sentia ter mais de 60. Estava desesperada com a sua vida, na qual piorou com a notícia do falecimento da sua irmã, o que a levou ao Japão, com o intuito de pessoalmente dar a notícia aos seus pais, em Yamagushi. Aproveitou para levar as cinzas de Saichi que deveriam ser colocadas no templo budista Ohtani em Tokyo.

Em 1935 ela sofria de várias doenças, na qual entrou no hospital em Tóquio para uma operação de urgência. No hospital em Akasaka, onde em primeiro lugar fez uma dieta para lhe propiciar melhores condições para enfrentar a cirurgia, foi confirmado cálculo renal e apendicite (as fontes divergem neste ponto). Perguntando por outra alternativa, além da cirurgia, foi-lhe oferecido um tratamento de Reiki na clínica de Chujiro Hayashi como alternativa. Enquanto sob os cuidados do mestre de Reiki Dr. Chujiro Hayashi, durante quatro meses, a senhora Takata recuperou totalmente a sua saúde. Em consequência das aplicações de Reiki recebidas nesta clínica, foi curada e o seu desejo de aprender o Reiki cresceu. Pediu para ser admitida no curso básico, o que lhe foi negado. No entanto, após algumas insistências, ela conseguiu permaneceu no Japão para aprender a dominar a arte de cura. Deu-se conta que tinha que assumir um profundo compromisso com o Reiki. Foi ver Hayashi e falou-lhe o que sentia, comprometendo-se a ficar no Japão o tempo que fosse necessário. Ele aceitou e assim foi iniciada. A Sra. Takata e as suas duas filhas foram hospedadas durante um ano na casa de Hayashi, para aprender e praticar o Reiki diariamente com ele nas suas visitas aos doentes.

Recebeu a iniciação no segundo grau de praticante Reiki, quando ambos sentiram que o treino estava concluído, e em 1937 a Sra. Takata retornou a Kauai no Havaí com o dom da cura. Semanas mais tarde, Dr Hayashi acompanhado da sua filha veio por 6 meses ao Havai para ajudar Hawayo a estabelecer o Reiki nesta região. Decidiram iniciar os cursos e demonstrações desta arte de cura em Honolulu. Em fevereiro de 1938, Hayashi antes de se despedir do povo havaiano para retornar ao Japão, anunciou ser Hawayo Takata mestre no sistema Usui, estando qualificada a praticar e ensinar o sistema. Para reforçar, completou os seus estudos de anatomia e técnicas alternativas, em Chicago, em julho de 1938.

No Havai a prática de Reiki prosperou com rapidez e em 1940 teve um sonho em que Hayashi lhe aparecia trajando um tradicional quimono de seda branco. Poucas semanas depois viu-se impelida a visitá-lo. Dr. Chujiro Hayashi mostrou-se muito apreensivo pois, estava muito determinado a salvaguardar a essência do Reiki, de acordo com a sua promessa feita a Mikao Usui. Em 9 de Maio de 1940, Chujiro Hayashi convidou os seus familiares e amigos mais chegados para a sua transição e morte que se daria entre 13:00 e 13:20hs daquele dia. Ele explicou a todos o motivo de ter escolhido tal data, a aproximação da guerra e o seu dever como ser humano em preservar e não destruir vidas. Agradeceu a todos e despediu-se da vida conscientemente de uma forma honrada fazendo Seppuku (切腹) é o termo formal para o ritual suicida chamado popularmente de harakiri (腹切り). Harakiri significa literalmente "cortar a barriga" ou "cortar o estômago", e é uma forma de suicídio por esventramento. Era cometido por samurais e guerreiros, numa tentativa de restaurar a sua honra. Considerava-se mais digno dar fim à própria vida cometendo seppuku do que permanecer vivo sendo desonroso com o seu povo e consigo mesmo. Após a transição de Chujiro Hayashi, Hawayo Takata seguindo as orientações recebidas, retornou ao Havai e graças ao seu compromisso de vida, o Reiki difundiu-se no ocidente.

Takata não somente ensinava o Reiki, ela vivia-o. A sua vida não era fácil, repleta de obstáculos e responsabilidades que transformava sempre em oportunidades de crescimento espiritual, tornando o seu carácter cada vez mais forte. Sabia sempre o que deseja acabava por encontrar soluções e caminhos para a realização dos seus propósitos. De personalidade viva pontuada sempre por grande simplicidade e a curiosidade sadia de uma criança, questionando, explorando novas ideias, e aprendendo. Ela combinava esta simplicidade com uma intuição poderosa. A vida de Hawayo era uma excecional demonstração de dedicação às máximas do Reiki. Durante os 39 anos de prática no Havaí, ela adquiriu clientes de todos os cantos do globo, incluindo Barbara Hutton e Doris Duke. Este último quebrou o pulso em 1957 e foi tratado pela senhora Takata. Ela depois tornou um dos seus alunos. "O Reiki está disponível para qualquer um que deseje procurar", disse a Sra. Takata.

Ela era um canal muito claro para a transmissão da energia curadora, carregada por 45 anos de experiência diária. Nos seus últimos 10 anos de vida iniciou 22 mestres, vindo a falecer em dezembro de 1980, pouco antes do seu aniversário.